Cintas de fibras sintéticas no reboque de veículos pesados no campo
28 jul

Cintas de fibras sintéticas no reboque de veículos pesados no campo

A importância da conscientização da equipe antes da sua utilização

Introduzir mudanças na forma de realizar uma tarefa ou de usar um novo produto no campo é muito difícil e complicado, ainda mais se não houver uma preparação e muita conversa com os componentes de uma equipe de trabalho.

Nas diversas oportunidades que tivemos  ao demonstrar a utilização da cinta-cabo PATA NEGRA HMPE, um produto com um novo conceito tecnológico jamais visto no campo, sentimos a dificuldade de entendimento do pessoal e a descrença de como uma cinta levíssima, de fibra sintética, poderia “aguentar” o que um cabo de aço aguenta?

Os Técnicos e Engenheiros de Segurança bem sabem como é difícil introduzir novos conceito em busca do aumento da segurança do empregado e da eficiência nas operações. Daí a importância do treinamento e da conversa aberta com a equipe antes de se colocar o novo produto em operação.

Por ter uma aparência muito diferente, ser muito leve, flexível e maleável, a cinta PATA NEGRA HMPE causa inicialmente um espanto na sua apresentação. Mas aos poucos, quando os argumentos são expostos, a descrença passa a ser desconfiança, que aos logo desaparece, quando a equipe vê a cinta em ação, rebocando um veículo pesado!

Seguem aqui algumas recomendações para instrução da equipe quanto ao uso da Cinta-cabo Pata Negra HMPE.

1. Leia o Manual da Cinta antes de conversar com a Equipe. Se possível, disponha o manual para todos lerem. Peça cópias digitais do Manual ao fabricante e disponibilize aos principais componentes da equipe, aqueles que são multiplicadores.

 

2. Apresente a cinta a cada um deles. Deixe cada um pega-la na mão e sentir o seu peso e a sua maleabilidade.

3. Explique os cuidados na hora de usar a cinta

       a) Não arrastar no chão

       b) Evitar o atrito em “cantos vivos “ e quinas

       c) Antes de instalar a cinta nos veículos, retirar toda a sua torção

       d) Verificar os pontos de ancoragem

       e) Instruir o rebocador não dar trancos

       f) Instruir o rebocado a controlar o freio para não deixar folgar a cinta.

4. Finalmente, uma palavra final quanto ao cuidado no transporte, manutenção e armazenagem do produto.

A opção pela substituição de correntes e cabos de aço por cintas de fibras sintéticas no reboque, arraste e desatolagem de veículos no campo deixou de ser uma tendência. Hoje é uma realidade que leva segurança e agilidade às operações com veículos pesados, evitando o acidente de trabalho e as perdas patrimoniais.

, , ,

Comentários (Deixe seu comentário )

Sem comentários ainda.

Copyright © 2016 - 2020 CSL Marinharia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Wylyan Lamartine

WhatsApp chat